Fale conosco - Downloads - Notícias
Home
Notícia
<< Voltar

Esporte e educação: investimento social aliado ao modelo de negócio

20/07/2016 em Notícias
Casos de sucesso mostram os impactos positivos para empresas que apoiam projetos esportivos e educacionais
Beatriz Pantaleão, Silvina Ramal, Noel De Simone e Claudia de Sá Amaro.
O apoio a iniciativas ligadas ao esporte faz diferença na integração do jovem e no crescimento das instituições. Mas para ser efetivo, o investimento precisa estar alinhado ao perfil e ao negócio da empresa. O esporte e a educação como aliados da inclusão social e ferramentas de projetos para instituições foi o tema do evento do Comitê de Responsabilidade Social Empresarial (RSE), da Câmara de Comércio Americana do Rio de Janeiro (AmCham Rio), nesta quarta-feira (20/07).


Com abertura e moderação do primeiro painel de Silvina Ramal, presidente do comitê de Responsabilidade Social Empresarial, o encontro reuniu Ana Cristina Nascimento, gerente de responsabilidade social da Firjan; Maria Barbosa, diretora de recursos humanos do Sheraton Grand Rio Hotel; Marcus Fonseca, idealizador do projeto social “Tênis Para Todos”; Beatriz Pantaleão, diretora executiva da Fundação Gol de Letra; e Claudia de Sá Amaro, diretora executiva do Ginásio Experimental Olímpico (GEO). O evento também contou com a presença de Noel De Simone, presidente do comitê de marketing e diretor da AmCham Rio.


Para as empresas, os investimentos em projetos socialmente responsáveis representam uma oportunidade de fortalecimento da imagem, melhoria de relacionamento com comunidades do entorno e engajamento dos funcionários. Mas para as crianças e jovens atendidos, os impactos positivos do investimento em esporte e educação são ainda maiores: melhoria do desempenho escolar, aumento da autonomia, responsabilidade, disciplina, respeito.


A Lei de Incentivo ao Esporte – Lei 11.438/2006 – permite que empresas invistam parte do que pagariam de Imposto de Renda em projetos esportivos aprovados pelo Ministério do Esporte. As empresas podem investir até 1% desse valor, pela lei federal e até 4% para o ICMS estadual. Para a Firjan, há três passos para investir em projetos sociais. Primeiro, é preciso definir a modalidade, se privada ou via leis de incentivo. Depois, desenvolver um projeto alinhado ao negócio da empresa e um plano de comunicação.


“Desenvolvemos ideias que minimizem os problemas sociais que são decorrentes das atividades produtivas. Mantemos também um diálogo com a comunidade que será atendida, para saber o que eles precisam e não o que achamos que eles precisam”, disse Ana Cristina, que enfatizou que ainda há muito potencial para investir nessa área. “Apenas 9% das empresas captam incentivo via Lei do Esporte.”


O Sheraton Grand Rio Hotel & Resort viu no projeto “Tênis para Todos”, uma oportunidade de impactar positivamente nas comunidades carentes em seu entorno, como Vidigal, Chácara do Céu e Rocinha. As aulas de tênis, para 50 jovens entre 10 e 18 anos, são ministradas nas dependências do hotel e ensinam diariamente os valores do esporte, visando diminuir a desigualdade social, por meio da prática de esporte alinhada aos estudos.


O idealizador fez questão de lembrar que transporte e alimentação são fundamentais para atrair e manter a frequência no projeto. “A alimentação foi o que trouxe as crianças no primeiro ano. Elas não conheciam o tênis e o hotel era um lugar muito diferente da realidade delas”, disse Fonseca, que enfatizou que o esporte e a educação são fundamentais para formarem cidadãos, por isso o Tênis para Todos também oferece aulas de inglês e informática e cobra que os alunos estejam matriculados no ensino formal.


Outra proposta que alia esporte e educação para crianças e jovens de comunidades é a Fundação Gol de Letra, criada em 1998, e que tem entre os fundadores os ex-jogadores de futebol Raí e Leonardo. A proposta inclui práticas educacionais e de assistência social, na Vila Albertina, em São Paulo, e no Caju, no Rio de Janeiro. “Oferecemos além das modalidades esportivas, atividades de expressão oral e escrita, cultural, artística e corporal e educação para o trabalho. Acreditamos que a transformação social vem da educação integral. Além disso, envolvemos a família em reuniões mensais. No esporte conseguimos trabalhar de forma lúdica todos os valores de cidadania”, afirmou a diretora e fundadora da entidade.


A Fundação também organiza o Torneio Gol de Letra, uma oportunidade de endomarketing para as empresas. O evento acontece no Maracanã e reúne times de várias empresas, além de ex-jogadores. Com o campeonato, as empresas engajam os funcionários e tornam a sua comunicação mais efetiva.


Outro projeto de escola em tempo integral vocacionada para o esporte é o Ginásio Experimental Olímpico (GEO), que integra formação acadêmica e esportiva, na rede pública municipal do Rio de Janeiro. Crianças e jovens praticam esportes e têm aulas de inglês diariamente, além de aulas de saúde, matérias eletivas e desenvolvimento esportivo de longo prazo.

Atualmente existem quatro escolas que fazem parte do Programa GEO, nos bairros do Caju, Santa Teresa e Pedra de Guaratiba, atendendo a quase mil alunos. Claudia, diretora desta última, alerta que o esporte como formador do cidadão e a responsabilidade social nas empresas são atitudes relativamente novas no País. “Estamos evoluindo. As GEOs são parte do legado olímpico, mas acho que o principal legado é conseguir o sucesso acadêmico dos alunos através da valorização da disciplina esportiva. Assim, formamos alunos-atletas-cidadãos”, disse ela.


Veja as fotos do evento: http://bit.ly/eventoesporteeducacao
Agenda

mantenedores

OURO

PRATA

  • Praça Pio X, 15 / 5º andar – Centro
    CEP: 20040-020 – Rio de Janeiro/RJ
  • + 55 (21) 3213-9200
    Fax: 55 (21) 3213-9201
  • amchamrio@amchamrio.com
Redes AmChamRio
  • COPYRIGHT © 2012.