Fale conosco - Downloads - Notícias
Home
Notícia
<< Voltar

Conferência Internacional Business Future of the Americas discute retomada do crescimento

31/05/2016 em BRAZILIAN BUSINESS
Secretário de comércio exterior do Brasil e diretor da Agência de Promoção de Investimento e Comércio da Argentina afirmam que momento é de otimismo
Daniel Godinho, secretário de comércio exterior do Brasil fala sobre o desenvolvimento regional das Américas. (Foto: Cecília Accioli)
Thaiza Pauluze
thaizapauluze@amchamrio.com


A conferência internacional Business Future of the Americas – BFA, o principal evento anual da Association of American Chambers of Commerce in Latin America & the Caribbean – Aaccla, foi realizada, no dia 23 de maio, pela Câmara de Comércio Americana do Rio de Janeiro (AmCham Rio), no hotel Sheraton Grand Rio. Durante o evento, especialistas debateram as medidas e soluções para a retomada do crescimento econômico frente à crise que afeta alguns países da região.


O secretário de comércio exterior do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Daniel Godinho, apresentou a visão do Brasil para o comércio exterior e o desenvolvimento regional. “O País cresceu voltado para o comércio doméstico. Nossa participação no comércio internacional oscila sempre em 1%. Mesmo que sejamos a sétima maior economia do mundo, somos apenas o 25º maior exportador e 32º maior importador.” O investimento em comércio exterior traz mais oportunidades do que riscos, disse Godinho. “De cada cem consumidores do mundo, 97 estão fora das nossas fronteiras. Hoje, o câmbio favorável faz com que possamos aumentar nossas trocas internacionais.”


Entretanto, o Brasil ainda precisa melhorar a infraestrutura, ter mais abertura comercial e acordos bilaterais. “Há 15 acordos em negociação atualmente sendo conduzidos pelo governo. Com os EUA, nós firmamos três acordos inéditos, no ano passado, em facilitação de comércio, propriedade intelectual e convergência regulatória. Essa estratégia é mais um passo para um acordo de livre comércio”, disse o secretário de comércio exterior.


Enfrentar a burocracia é outra medida crucial para o Brasil. Hoje, o tempo gasto com as obrigações para exportar é de, em média, 13 dias. O objetivo é que todos os trâmites sejam feitos em, no máximo, oito. Já para importar a redução seria de 17 para dez dias.


Uma das etapas a ser atingidas é a anexação eletrônica de documentos. Hoje, 85% das ações de exportação e 95% das de importação já são feitas eletronicamente. “Queremos 100%. Temos boas bases para que o comércio exterior se desenvolva. Mas só podemos fazer isso envolvendo o governo e o setor privado”, afirmou Godinho.


Já as perspectivas da Argentina para a retomada do crescimento econômico foram mostradas por Luis García Hamilton, diretor de investimentos da Agência de Promoção de Investimento e Comércio da Argentina. Ele disse que o país passou por mudanças políticas e que o novo governo trabalha para atrair investimentos.


“A Argentina tem uma economia grande e diversificada, a terceira da América Latina em relação ao PIB, com o segundo PIB per capita em termos de poder de compra, e apenas 7% de taxa de desemprego. Porém, tivemos o menor nível de investimento entre 2010 e 2014, enquanto os vizinhos da América Latina conseguiram multiplicar os investimentos entre quatro e seis vezes no período”, disse Hamilton.


Os maiores desafios argentinos são velhos conhecidos do Brasil: inflação, corrupção e burocracia. “Estamos negociando nossas dívidas com mercados financeiros e lutando para diminuir nossa inflação para dígitos únicos”, afirmou o diretor de investimentos.


Hamilton já vê uma melhora no cenário econômico: “O risco país da Argentina caiu de 620 pontos para 450 em poucos meses. Nós identificamos mais de US$ 170 bilhões como possibilidade de investimentos e um tamanho de mercado muito atrativo.” Para ele, o próximo passo é caminhar ao lado do Brasil e de outros vizinhos latinos, por meio de mais acordos bilaterais.


A cidade do Rio de Janeiro também esbanjou otimismo. Marcelo Haddad, diretor executivo da Rio Negócios, afirmou que “as mudanças de regimes no Brasil e na Argentina têm sido motivo de expectativa para o desenvolvimento de um comércio mais competitivo na região”. Ele enfatizou que a Olimpíada vai mostrar ao mundo que “os latinos têm competência para realizar um evento global”.


O evento esportivo está fazendo a economia do País girar. De acordo com Haddad, do total de compras realizados pelo Comitê Olímpico, 75% foram de empresas brasileiras. “Hoje podemos sonhar que as empresas brasileiras possam ser tão competitivas quanto as americanas ou inglesas. Elas aprenderam que o mercado a que a gente se refere não é só o brasileiro, mas, sim, o internacional. A Rio Negócios traz a visão de competitividade para as empresas”, disse Haddad.


O presidente da Aaccla e da Panama Canal Railway Company, Thomas H. Kenna, também falou da crise econômica e política como fomentadora de ideias e mudanças. “Este momento delicado pelo qual o Brasil está passando é uma oportunidade única para o País e os outros países do hemisfério aprenderem”, disse. Ele destacou que o tema do BFA, “destravando o potencial econômico regional”, é muito adequado. “As nações das 24 câmaras de comércio americanas que estão aqui hoje recebem 80% dos investimentos da região, mas ainda precisam melhorar a eficiência, a integração energética e o desenvolvimento da infraestrutura, além do crescimento econômico e de aprofundar o engajamento no mercado global.”


Rafael Motta, presidente da AmCham Rio e CEO do Grupo Case, disse ser fundamental desenvolver a economia não só dentro do País, mas também bilateral, regional e globalmente. “O BFA é um excelente momento para o networking, para trocar informações e também para ajudar o setor privado e as câmaras de comércio do hemisfério a formular ideias que contribuam para facilitar nossas respectivas conversas com nosso governo”, disse.


O Business Future of the Americas é uma realização da Câmara de Comércio Americana do Rio de Janeiro (AmCham Rio) com a Association of American Chambers of Commerce in Latin America & the Caribbean – Aaccla, patrocínio máster da Amil e da Med-Rio Check-Up e patrocínio da Chevron.


Veja as fotos do evento: http://bit.ly/fotosBFA
Agenda

mantenedores

OURO

PRATA

  • Praça Pio X, 15 / 5º andar – Centro
    CEP: 20040-020 – Rio de Janeiro/RJ
  • + 55 (21) 3213-9200
    Fax: 55 (21) 3213-9201
  • amchamrio@amchamrio.com
Redes AmChamRio
  • COPYRIGHT © 2012.