Fale conosco - Downloads - Notícias
Home
Notícia
<< Voltar

Empresas investem em incentivos para conquistar funcionários

27/05/2015 em Brazilian Business
Especialistas explicaram na AmCham Rio como funcionam as stock options e quais são seus principais riscos
Evento reuniu especilistas em stock option na AmCham Rio
Em um mercado de trabalho extremamente competitivo, empresas estão encontrando nos incentivos de longo prazo uma maneira atraente de reter seus executivos. As stock options são alguns destes recursos, onde funcionários ganham parte das ações da empresa e consequentemente dividem seus resultados. Os benefícios e os riscos do sistema foram explorados por especialistas no evento “Stock Option - Estratégia para motivar e reter talentos”, realizado nesta quarta-feira (27 de maio) na AmCham Rio com o apoio da Federação das Câmaras de Comércio Exterior (FCCE).

Nos últimos 10 anos, esta estratégia vem apresentando um crescimento contínuo nos pacotes de remuneração das empresas. De acordo com dados do Hay Group, o atual percentual de incentivos no conjunto de um diretor é de 18%, um aumento de 13% em relação a 2004. O salário base, que antes representava 66%, chegou pela primeira vez aos 44% em 2014. De acordo com o head of executive compensation da empresa, Henri Barochel, “o incentivo de longo prazo funciona como os planos de saúde oferecidos pelas empresas: é um dos diferenciais que a organização deve ter para conseguir atrair funcionários”, afirmou.

Diferente de um bônus, as stock options não são dados em dinheiro, mas sim em investimentos de ações que podem variar de acordo com a situação da empresa na bolsa de valores. Além disso, para ser validado, todos os detalhes precisam estar inseridos dentro de um plano formalizado junto à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

José Andrés Lopes da Costa, sócio do Chediak Advogados, defendeu que “se o modelo for bem elaborado, a principal vantagem para a companhia é reter profissionais de qualidade por um período de tempo mais longo. Como o incentivo só se materializa em uma data futura e se a organização tiver boa performance, cria-se uma forma capaz de reter os melhores profissionais”, explica Andrés.

Por ser um rendimento, a Receita Federal considera as stock options sujeitas à tributação. A Fazenda Nacional também compartilha com esta posição. Para Rachel Godoy de Miranda Aguiar, procuradora da Procuradoria-geral da Fazenda Nacional, “quando nós observamos o nível de descontos concebidos, o tempo de trabalho, resultados do empreendimento, fica muito difícil para a Fazenda imaginar que o limite é meramente mercantil. Além de ser uma estratégia de retenção talentos, nós vemos nos incentivos uma maneira de contraprestação ao trabalho recebido pelos colaboradores”, afirmou.

O evento contou com a participação de Marcos Medeiros Coelho da Rocha, advogado e o sócio do escritório Veirano Advogados, e foi moderado por Cláudia Danienne, presidente do comitê de RH da AmCham Rio, e Julian Chediak, presidente do Comitê de Assuntos Jurídicos da câmara.
Agenda

mantenedores

OURO

PRATA

  • Praça Pio X, 15 / 5º andar – Centro
    CEP: 20040-020 – Rio de Janeiro/RJ
  • + 55 (21) 3213-9200
    Fax: 55 (21) 3213-9201
  • amchamrio@amchamrio.com
Redes AmChamRio
  • COPYRIGHT © 2012.