Fale conosco - Downloads - Notícias
Home
Notícia
<< Voltar

A fé que movimenta a cidade

20/07/2013 em Turismo

Jornada Mundial da Juventude deve trazer para o Rio de Janeiro 2,5 milhões de católicos de todo o mundo, entre os dias 23 e 28 de julho


Por Érica
Araujo e Cláudio Rodrigues


Para
católicos de todo o mundo, estar no Rio de Janeiro entre os dias 23 e 28 de
julho será uma prova de fé.
Uma grande
chance para os sul-americanos verem de perto o Papa Francisco, o primeiro
pontífice do continente. Para a cidade, será mais um teste de fogo. Logo depois
da Copa das Confederações, um ano antes da Copa do Mundo e a dois dos Jogos
Olímpicos, a infraestrutura urbana será colocada à prova. Milhões de fiéis
circularão entre Guaratiba e Copacabana, enquanto comerciantes rezarão por
cifrões que devem movimentar a economia da cidade.


São
esperadas cerca de 2,5 milhões de pessoas para a jornada. A empresa Rio
Eventos, criada pela Prefeitura, cuidará do megaevento, considerado um enorme
desafio tanto para a administração pública quanto para as empresas envolvidas,
sobretudo nas áreas de logística, infraestrutura e sustentabilidade.

Entre
os turistas, uma grande legião de peregrinos, que já somam 800 mil fiéis para
ver de perto o Papa Francisco. Eles ficarão em acampamentos improvisados ou
mesmo em residências de cariocas que abrirão suas próprias casas. Tereza
Bastos, por exemplo, mora em Botafogo e se dispôs a hospedar quatro jovens.
“Esse é um evento muito importante de multiplicação da fé e do cristianismo, e
é preciso abrir o coração nessa hora”, diz. Já Carmélia Domingues retribui o
ato em agradecimento aos outros acolhedores pelo mundo, já que sua filha sempre
viaja para a JMJ em outros países e tem o costume de se hospedar em casas de
famílias católicas. “Fico contentíssima em fazer essa doação, já que minha
filha, quando precisou, foi muito bem tratada em outros países.”

Por
trás desses números estão ainda outros 60 mil voluntários, que estão doando seu
tempo para concretizar a festa católica. De acordo com a organização da
jornada, 60% dos inscritos até agora são do Brasil, 20% de países
latino-americanos e os demais 20% de outros países. Os três países que mais
estão enviando peregrinos são Argentina, França e Estados Unidos. A inscrição
garante acomodação e refeições durante os dias do evento.

Mesmo
os hotéis da cidade, que não esperam mais do que 70% de ocupação dos quartos
por causa da solidariedade entre peregrinos e cariocas, ressaltam que o turismo
da cidade sairá ganhando, uma vez que esta é mais uma oportunidade para o Rio
ficar em evidência em todo o mundo. “Esse evento não deverá ser tão expressivo
para a hotelaria, já que os peregrinos ficam hospedados em casas de famílias,
igrejas, quartéis, embora a iniciativa seja boa porque promove as maravilhas da
cidade”, informa Alfredo Lopes, presidente da Associação Brasileira da Indústria
de Hotéis do Rio de Janeiro
(Abih-RJ).

Do
ponto de vista macroeconômico, segundo Ruy Quintans, professor de economia do Ibmec,
há o risco de que haja mais transtornos do que retornos para o comércio
carioca, principalmente pelo fato de o prefeito Eduardo Paes ter declarado quatro
dias de feriado durante o evento. “Apesar de o número de pessoas esperadas ser
grande, a renda média delas é baixa, já que são jovens e, na maioria,
estudantes. Logo, não teremos tanto benefício assim para o comércio. Se for
decretado feriado então, podemos até cogitar prejuízos econômicos”, acredita.

Os empresários, por sua vez, esperam poder
aproveitar da melhor maneira possível as oportunidades. No ramo alimentício,
bares e restaurantes se cadastraram para apoiar o evento. Os estabelecimentos
que se credenciaram receberão R$ 15 pela refeição. Segundo o coordenador da
alimentação da JMJ Rio2013, Nelson Mamede, o valor é uma média do que é cobrado
na cidade. Os peregrinos poderão escolher os restaurantes em que vão almoçar e
jantar com o cartão recarregável da Rede Ticket. “Já temos 6 mil
estabelecimentos credenciados. O custo é a média do valor que um prato pode
custar em cada canto da cidade. É uma oportunidade de mostrar a culinária
típica brasileira e fazer história nesse evento. Desde o início tínhamos
certeza que os empresários iriam participar dessa jornada”, destacou Mamede.

Parcerias também movimentam o ramo de transportes.
A Itapemirim, por exemplo, juntou-se à Arquidiocese de São Paulo para oferecer
um serviço personalizado de ônibus, com funcionários bilíngues para atender a
quem for participar do evento católico no Rio de Janeiro. “Acho fundamental que
haja essa sincronia dos empresários com o evento, é uma oportunidade de testar
a infraestrutura para eventos maiores. Os dois lados lucram”, diz Antônio Reis,
que já comprou lugares para vir de São Paulo ao Rio de Janeiro. Segundo a
Itapemirim, uma das vantagens dessa parceria será o preço das passagens. Mesmo
com a aproximação da data do encontro religioso, não haverá aumento no valor
dos bilhetes. O valor cobrado será o mesmo das passagens comuns.

Para evitar problemas no trânsito durante a jornada,
a Prefeitura do Rio de Janeiro impôs restrições de circulação nas vias e
estacionamentos de ônibus e vans fretados para o evento. Já os transportes de linhas
regulares poderão utilizar a rodoviária Novo Rio normalmente.

A Agência Nacional de Transportes Terrestres do
Governo Federal criou uma página especial para que os participantes se orientem
durante a Jornada Mundial da Juventude, não apenas para os que irão se deslocar
utilizando transporte regular, mas também para os que utilizarem veículos
fretados. A página da agência traz orientações sobre direitos e deveres de
passageiros e empresas de ônibus, dicas de viagem, de locomoção, relação de
serviços das empresas regulares, e ainda faz um alerta sobre o risco do
transporte pirata, que normalmente é feito em ônibus com más condições de
manutenção, com motoristas nem sempre preparados.

Quem for ver de perto o Papa Francisco nos eventos
principais da jornada, em Guaratiba e em Copacabana, terá acessos garantidos. O
Comitê Organizador Local (COL) também afirmou que pessoas com deficiência
poderão acessar tranquilamente as áreas comuns. Empresas especializadas em
acesso para deficientes foram contratadas para montar as estruturas.

Em Guaratiba, haverá uma área adaptada para os
principais tipos de deficiência: visual, auditiva, intelectual e motora
(cadeirantes). Segundo a responsável pelas pessoas com deficiência em
Guaratiba, Simone Macdowell, serão 23 mil metros quadrados, reservados dentro
de uma área total de 1 milhão de metros quadrados.

O espaço em Guaratiba comporta 6.514 pessoas com
deficiência, incluindo acompanhantes. O cálculo foi feito levando em
consideração que haverá uma vigília no local e que haverá pessoas deitadas. Na
área reservada haverá tradução em libras num telão para os surdos,
audiodescrição para cegos, pisos em floor para cadeirantes e 40 banheiros
adaptados. Na rota de chegada até o local da vigília também haverá cerca de 20
banheiros adaptados. Os cães-guia terão vasilhas para comida e bebida, além de
sacos biodegradáveis para que suas fezes sejam recolhidas. “Como o terreno é
muito grande, não teremos como montar essa estrutura em todo o espaço, que
seria o ideal. Mas mesmo com toda essa estrutura, as pessoas com deficiência
não terão obrigatoriamente que ficar nesse local. Vamos ter tudo isso para
atendê-los nessa área, mas se eles quiserem ficar com o grupo deles, em outro
lugar, fica a critério da pessoa com deficiência”, detalhou Simone.

A estrutura já foi avaliada pela Secretaria
Nacional de Direitos Humanos. Para o coordenador-geral de acessibilidade da secretaria,
Sérgio Paulo Nascimento, o projeto de acessibilidade, locomoção e acomodação
para pessoas com deficiência da jornada foi muito bem desenvolvido e supre
todas as necessidades. “Nós ficamos bem impressionados com a preocupação dos
organizadores da jornada de que os serviços disponíveis, as hospedagens e os
locais tivessem suporte para pessoas com deficiência”, destacou.

Outra preocupação da Igreja Católica e dos
organizadores é a questão da limpeza urbana. Além da consciência ambiental, a
cidade estará vivendo um momento crucial com a lei municipal que impõe multas
para pessoas que jogarem lixo no chão, a entrar em vigor no dia 1º de julho.

Os peregrinos que são de fora da cidade estão sendo
alertados a respeito da nova lei. Para a ação educativa dar certo, foi criado o
kit do peregrino, que será entregue aos jovens na jornada e virá com um
Guia Ecológico da JMJ, com dicas de como
cuidar da cidade enquanto estiverem no evento, reforçando a preocupação de
jogar o lixo nos lugares apropriados. “Esse guia está relacionado ao Projeto de
Gestão de Resíduos, que faz parte do legado ambiental da jornada. Serão
distribuídos sacos plásticos para os peregrinos em vários lugares, para que eles
joguem o lixo individual quando não existir uma lixeira por perto”, ressalta o
padre Jefferson Gonçalves, responsável pela Pré-Jornada JMJ RIO2013.

Em Botafogo, dezenas de voluntários se mobilizam para
promover uma grande festa. É na Paróquia Santa Teresinha onde estão
concentrados os esforços para que a empreitada se realize da melhor maneira
possível. A igreja é considerada o portal da Jornada Mundial da Juventude 2013,
principalmente por sua localização na Zona Sul da cidade. 
“Estamos
preparando uma grande celebração, com palcos, cenários, sonorização,
iluminação. Tudo isso está sendo executado por voluntários e prestadores de
serviços que são parceiros”, conta o responsável pela paróquia, Padre Lázaro
Dias.

Na espera pelos fieis que podem chegar aos
milhares, Padre Lázaro também está preocupado com o descarte dos resíduos, em
sua maioria descartáveis. “Vamos aproveitar a data para inaugurar na
paróquia um serviço de coleta seletiva, não podemos apenas contar com a
prefeitura. Contratamos contêiner de empresas especializadas em resíduos
sólidos para reciclagem”, enfatizou.






Agenda

mantenedores

OURO

PRATA

  • Praça Pio X, 15 / 5º andar – Centro
    CEP: 20040-020 – Rio de Janeiro/RJ
  • + 55 (21) 3213-9200
    Fax: 55 (21) 3213-9201
  • amchamrio@amchamrio.com
Redes AmChamRio
  • COPYRIGHT © 2012.