Fale conosco - Downloads - Notícias
Home
Notícia
<< Voltar

Ações de fomento ao turismo são necessárias para alavancar economia carioca

07/03/2018 em NOTÍCIAS
AmCham Rio convidou a Riotur, Rede Accor, RioGaleão, Infoglobo e Rio Convention & Visitors Bureau para debater o setor e suas dificuldades
Idealizado pelo comitê de Turismo e Negócios da Câmara Americana, o Breakfast in Rio aconteceu no hotel Hilton Copacabana, dia 6 de março, em clima de esperança e otimismo. Os principais players de turismo se reuniram para colocar em perspectiva as dificuldades do setor na cidade do Rio de Janeiro e como ele pode ser incentivado, a fim de impulsionar a atração de turistas e negócios. O evento foi realizado em parceria com o Rio Conventions & Visitors Bureau, e teve patrocínio da Executive One e hospitality do escritório Veirano Advogados. Além disso, o hotel Hilton, Associação Brasileira de Empresas de Eventos (ABEOC Brasil) e a Associação de Hotéis Rio apoiaram o evento.

A abertura ficou por conta de Maria Paula Comaru e Marcus Juste, líderes do comitê de turismo e negócios da Câmara. O vice-presidente executivo da Associação de Embaixadores de Turismo do Rio de Janeiro, prof. Bayard do Coutto Boiteux moderou o painel de debates, composto por Marcia Pessoa, da Rio Convention & Visitors Bureau; Gabriel França, do RioGaleão; Patrick Mendes, da Rede Accor e Andre Valle, da Infoglobo.

Prof. Bayard defendeu ser necessário buscar soluções em momentos de crise. Segundo ele, o incentivo ao turismo é essencial para impulsionar a economia carioca e, ao promover ações, as pessoas poderiam entender a efetividade do turismo. “A cidade não vem investindo em promoção. A gente precisa que cada vez que uma promoção seja feita, tenhamos dados mensuráveis e isso seja divulgado”, destacou.

Marcia, gerente da da Rio Convention & Visitors Bureau, apresentou as ações para o ano e os resultados do Roadshow Visit.Rio, projeto da RCVB a que busca leva a marca do Rio de Janeiro a outros estados do país e objetiva gerar negócios e incrementar a ocupação hoteleira da cidade. Para ela, um dos principais motivos de sucesso do projeto foi o conceito matchmaking, que coordenou ações com as empresas do segmento para influenciar a promoção. "Cada um dos hotéis que participaram com a gente nos davam uma lista em torno de 20 empresas que podiam gerar negócios para a cidade", afirmou.

Dentre as ações para o ano, estão a participação em mais eventos; realização de mais roadshows pelo Brasil; press trips, para ampliar a divulgação na mídia; foco nas ações voltadas para o turismo de negócios e a promoção do e-visa nos mercados americano, japonês, canadense e australiano, sempre em parceria com as companhias aéreas locais.

Segundo a Organização Mundial de Turismo, a facilitação de viagens por meio do e-visa tem potencial de incrementar em até 25% o fluxo turístico entre os países beneficiados. Com base nisso, o Ministério do Turismo fez uma projeção e o visto eletrônico pode injetar até R$ 1,4 bilhão na economia brasileira em dois anos. Além disso, um plano desenvolvido pelo Ministério tem meta de ampliar para US$ 19 bi o faturamento com o turismo internacional, aumentar de 6,6 milhões para 12 milhões o número de chegadas internacionais, inserir 40 milhões de brasileiros no mercado doméstico de viagens e gerar 2 milhões de empregos até 2022.

Marcia defende a necessidade de integrar os mercados, a mídia e o governo para impulsionar a cidade. Com a mensagem #SOMOSTODOSRIO, ela completa: "É importante a união da indústria nesse momento difícil que a cidade está passando. Nós temos potencial para sair disso com certeza”.

O RCVB tem realizado um trabalho de pesquisa e conscientização das entidades de classe, para gerar incentivo em outras áreas envolvidas. Segundo ela, foi criado o “Meet at Rio”, projeto que busca unir os players do setor de congressos e eventos. "É um segmento que tem que ser muito trabalhado. Além da parte de lazer e turismo, o corporativo, com eventos e feiras é interessante para ocupar a sazonalidade, por isso a importância do calendário Rio de Janeiro a Janeiro, para que isso seja divulgado", disse.

O papel da mídia é fundamental para gerar resultados. Andre Valle, especialista da área de Projetos Especiais da Infoglobo, citou a receptividade obtida com o caderno de aniversário do Rio, publicado pelo Infoglobo. De acordo com ele, diversas marcas, empresas e associações se mostraram ativos na tentativa de recuperação da cidade. “Esse é um pouco do nosso trabalho e da nossa missão, de levantar causas e bandeiras para tentar transformar o Rio de Janeiro”, disse.

O grupo Infoglobo investe em eventos de promoção da cidade. Entre eles, o Rio Gastronomia, Veste Rio, Fica Verão, Educação 360, Wired Festival Brasil e Vinhos de Portugal, todos com intuito de tornar o Rio relevante em cenário nacional. "Somos uma empresa que está preocupada com o Rio, olhando para a nossa cidade, querendo construir algo para que ela esteja no mapa nacional", finalizou.

Otimismo é o que move as ações. Gabriel França, Diretor comercial e corporativo do Rio Galeão, acredita que olhar para o futuro e apresentar sinais positivos é uma forma de contornar a situação atual. “Para sobreviver a uma crise dessa, tem que ter resiliência”, ressaltou.

De acordo com ele, o aeroporto internacional da cidade apresentou sinais positivos de reação. No primeiro bimestre de 2018, houve um aumento de 43% de carga em relação a 2017. Também houve um crescimento de 18% no número de passageiros internacionais nesse mesmo período. Além disso, surgiram novos destinos e frequências internacionais pelas companhias aéreas.

Em números, o turismo representa 10% do PIB internacional e 4% do brasileiro. Patrick Mendes, CEO da Rede Accor, apresentou um panorama do setor, relacionado à hotelaria. Segundo ele, esses dois campos são os mais promissores a ampliar oferta de empregos para os próximos anos.

Para Patrick, os principais desafios no setor hoteleiro são o crescimento acima da inflação dos custos pessoais e de energia e a falta de regulamentação no setor de private rentals (Airbnb). Apesar disso, a adaptação à lei brasileira de inclusão, assinada pelo presidente Michel Temer na última quinta-feira, 1 de março, representa um fator positivo à hotelaria. O decreto prevê que os estabelecimentos deverão disponibilizar, no mínimo, 5% dos dormitórios com recursos de acessibilidade. Ou seja, dos 10% dos dormitórios que pela Lei têm de possuir adaptações para deficientes, metade precisa ser adaptado para pessoas que possuem problemas físicos.

Ele citou a influência dos millennials, jovens de 18 a 24 anos. Hoje em dia, 40% dos viajantes brasileiros se enquadram nesse grupo. Segundo ele, é necessário ajustar e adaptar a rede hoteleira para os interesses deles. O mass customization, é uma ação nesse sentido, em que ocorre uma personalização massificada, já cada um quer ter uma experiência única. Para ele, essas novas atribuições geram inovação e mudanças no modo de agir. "São evoluções que impactam bastante nossa maneira de funcionar e nos obrigam a pensar fora da caixa", disse.

Para o CEO, o Brasil obteve reconhecimento após a copa e os jogos olímpicos. Ao contrário do que muitos pensam, Patrick disse que a imagem do país no exterior é diferente da que temos. "Nós temos que parar de acreditar que lá fora temos uma imagem péssima, é muito pelo contrário”, destacou.

Marcia concordou que não cabe aos cariocas disseminar esse tipo de pensamento e defendeu a tecnologia e inovação como potenciais influenciadores na atração de turistas e melhoria do mercado. "Qualquer tipo de ferramenta que venha ajudar a gente nessa promoção é importante", ressaltou.

A palestra de encerramento, foi realizada pela Riotur. Lucio Macedo e Mauricio Werner falaram sobre as pautas trabalhadas pela agência em prol da promoção do Rio no cenário brasileiro e internacional. Dois dias após o carnaval, a Riotur reuniu diversos órgãos públicos envolvidos no planejamento do carnaval, para avaliar o evento de 2018 e pensar as mudanças necessárias para o ano que vem. O próximo passo é ouvir as associações de moradores para buscar mudanças no atual formato.

"É bom a gente encontrar esse equilíbrio para a cidade. Não queremos ter o maior carnaval do brasil, mas sim o melhor carnaval. Isso faz uma grande diferença", afirmou Lucio.

O calendário Rio de Janeiro a Janeiro, lançado pela prefeitura, busca preencher a cidade mensalmente com turistas durante todo o ano, a fim de gerar empregos e renda para os cariocas mesmo na baixa temporada. Segundo Lucio, é necessário abraçar a iniciativa e suas proposições para, assim, gerar soluções.

A AmCham Rio e o comitê de Turismo e Negócios estão empenhados em promover ações que incentivem o setor na cidade e impulsionem a economia carioca.

Confira as fotos: http://bit.ly/breakfastinrio
Agenda

mantenedores

OURO

  • Praça Pio X, 15 / 5º andar – Centro
    CEP: 20040-020 – Rio de Janeiro/RJ
  • + 55 (21) 3213-9200
    Fax: 55 (21) 3213-9201
  • amchamrio@amchamrio.com
Redes AmChamRio
  • COPYRIGHT © 2012.